Cores e formas sentados no sofá

23/mar/2009 Comentar

Para inspiração, nada melhor do que 12 canetinhas hidrocor para rabiscar no papel branco. Ele, ali, totalmente pronto para ser explorado, riscado, invadido pelas pontas dos lápis desbravadores e seguidores de meus desejos. Que figura é esta que se delineia? Quem olha tão triste para o infinito? Quem se recosta no sofá azul que não existe mais? Foi a Taís que posou para mim em 2007. Seus olhos fixos, distantes, deixaram uma aura de mistério não revelado, impossível de ser decifrado. Sua expressão indefinida ganha forma e sentimento com as cores fortes que agora eternizaram-na. E assim se fez algo novo a partir de Taís.

Comentar

Escreva algo